terça-feira, 20 de setembro de 2011

"Diagrama Espinha-de-peixe"

Originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa em 1943 e aperfeiçoado nos anos seguintes.
Ishikawa observou que, embora nem todos os problemas pudessem ser resolvidos por essas ferramentas, ao menos 95% poderiam ser, e que qualquer trabalhador fabril poderia efetivamente utilizá-las.
O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como "Diagrama de Causa e Efeito", Diagrama Espinha-de-peixe" ou "Diagrama 6M".
Ishikawa é conhecido pelos avanços proporcionados nas organizações e por pensamentos que deram início ao conceito de qualidade total e as ferramentas que nos ajudam a buscá-la.
É uma ferramenta gráfica utilizada pela administração estratégica para o gerenciamento e o Controle da Qualidade (CQ). Criado originalmente para identificar as causas dos problemas no processo de produção de um produto (indústria), mas a sua utilização foi mais além, podendo ser aplicada em qualquer tipo de problemas organizacionais. Afinal, tomar a decisão errada ou resolver de maneira pouco eficiente pode ter alto risco e um final bastante desastroso para a empresa e para os clientes.
Para um diagrama eficiente, essas causas devem ser identificadas através de um brainstorm com toda a equipe reunida, dando opiniões e sugerindo causas. Assim, o diagrama ficará mais verdadeiro e confiável. Ninguém melhor para identificar as influências do que as pessoas que estão diretamente ligadas ao problema.
Em sua estrutura, os problemas podem ser classificados como sendo de seis tipos diferentes (o que confere ao diagrama com nome alternativo de "6M"):

  1. Método;
  2. Matéria-prima;
  3. Mão-de-obra;
  4. Máquinas;
  5. Medição;
  6. Meio ambiente.
O sistema permite estruturar hierarquicamente as causas potenciais de determinado problema ou oportunidade de melhoria, bem como seus efeitos sobre a qualidade dos produtos. Permite também estruturar qualquer sistema que necessite de resposta de forma gráfica e sintética (melhor visualização).
O diagrama pode evoluir de uma estrutura hierárquica para um diagrama de relações, uma das sete ferramentas do Planejamento da Qualidade desenvolvidas por Ishikawa, que apresentam uma estrutura mais complexa e não hierárquica.
O Diagrama de Ishikawa pode ser usado também na verificação e validação de software.
Não há limites para a utilização do diagrama, as empresas que vão além dos padrões convencionais podem identificar e demonstrar a origem de cada uma das causas do efeito. A riqueza de detalhes pode ser determinante para melhor qualidade dos resultados do projeto.
Essa ferramenta dá ao usuário uma lista de itens para serem conferidos por meio do qual se consegue uma rápida coleta de dados para várias análises.
Um diagrama de causa e efeito bem detalhado tomará a forma de uma "espinha-de-peixe", podemos visualizar na figura abaixo:


Na figura acima podemos observar:
  • O efeito ou problema é fixo ao lado direito do desenho e as influências ou causas maiores são listadas ao lado esquerdo.
  • Causa Potencial dentro de uma categoria que pode contribuir com o efeito.
  • Sub-causa que pode contribuir com uma causa específica. São ramificações de uma causa.
Razões e benefícios:
  • Identifica informações a respeito das causas do seu problema;
  • Organizar e documentar as causas potenciais de um efeito ou característica de qualidade;
  • Registra visualmente as causas potenciais, facilitando o processo de rever e atualizar;
  • Reduzir a tendência da procura de uma causa "verdadeira", em prejuízo do desconhecido ou esquecimento de outras causas potenciais;
  • Enfoca o aperfeiçoamento do processo;
  • Provê estrutura para o brainstorming;
  • Envolve à todos.

Passo-a-passo para realização do diagrama:
  1. Identificação do problema (efeito).
  2. Identificação das influências do problema (causas). Primeiro as principais causas, seguidas das secundárias, terciárias, etc. Deve-se ser feito em grupo para obter opiniões diferentes, contribuindo para um diagrama mais completo.
  3. Colocar o efeito e suas causas no diagrama "Espinha-de-peixe".
  4. Incentivar a participação da equipe. Podem ser feitas perguntas as seguintes perguntas: O quê? Por quê? O que mais?.
  5. Fazer a análise do diagrama destacando as principais causas que influenciam o problema analisado. Discutir entre os participantes quais são as causas que realmente influenciam e que requerem mais atenção.
  6. Discussão da resolução das causas, uma à uma. Nomear pessoas responsáveis por cada uma das causas. Nomear também um supervisor geral para toda a ação, assegurando que tudo irá correr exatamente como planejado.
  7. Analisar os resultados obtidos. Reunir a equipe e mostrar que problema foi resolvido com a ajuda de todos e principalmente com a identificação, aceitação e visualização do problema e suas causas.
Informações retiradas do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Diagrama_de_Ishikawa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário